Cultivo, Featured, Orquídeas

Epidendrum fulgens

Como cuidar de orquídeas em apartamento

O cultivo de orquídeas em apartamento tem se tornado cada vez mais comum, por uma série de diferentes razões. Sob estas condições não naturais, itens corriqueiros como espaço, luz natural e umidade tornam-se artigos de luxo. Nos tópicos a seguir, vamos discutir um pouco sobre as principais dificuldades de se manter orquídeas saudáveis em apartamento e sugerir dicas de como contorná-las.

1. Altitude

Quando se pensa em orquídeas no apartamento, este é um fator pouco lembrado. As condições de cultivo são muito mais amigáveis nos andares mais baixos. À medida que subimos, a intensidade do vento aumenta consideravelmente. A incidência de luz solar também tende a ser maior, devido à ausência das copas das árvores. Estes fatores fazem com que, nos andares mais altos, tenhamos que redobrar os cuidados com a desidratação das orquídeas, que ocorre em maior grau quando estas são submetidas a ventos constantes e sol intenso.

O planejamento da disposição das orquídeas, na varanda ou janela, pode ajudar a contornar estes problemas. Aquelas mais resistentes, que podem receber mais luminosidade e ventilação, ficam na primeira fila. As mais frágeis vão atrás, protegidas pelo pelotão de frente

2. Ventilação

Confesso que tenho um verdadeiro horror a vento, principalmente no frio. Quando cultivava orquídeas dentro do quarto, sentia uma grande dificuldade em manter a janela aberta, durante o inverno. Como resultado desta fobia, tive vários problemas com pragas, das mais diversas e desagradáveis espécies.

Se por um lado a ventilação é importante para o cultivo saudável das orquídeas, por outro o excesso de vento é prejudicial. Em apartamentos, principalmente nos andares mais altos, torna-se importante fazer um ajuste fino desta variável. Neste sentido, o abrir e fechar das janelas ao longo do dia auxilia no controle da ventilação ideal. Nas varandas, anteparos como folhagens e telas de sombreamento ajudam a proteger orquídeas mais sensíveis de correntes de vento. Em casos mais delicados, como durante o período de floração, é sempre aconselhável trazê-las para um local mais protegido, dentro de casa.

Orquídeas na varanda do apê
Orquídeas na varanda do apê


3. Luz

Para termos uma melhor noção de quais gêneros de orquídeas podemos cultivar no apartamento, é importante sabermos a quantidade de luz que o mesmo recebe. Para tanto, o melhor parâmetro é saber para qual direção as janelas e varandas estão voltadas. Aquelas direcionadas ao norte são as mais ensolaradas.

Apartamentos face leste também são interessante para o cultivo de orquídeas, já que as mesmas apreciam o sol da manhã. Janelas face oeste costumam ficar muito quentes no verão, necessitando de uma tela de sombreamento ou cortina fina para atenuar o sol da tarde. De modo geral, apartamentos face sul não são amigáveis para a maioria das orquídeas, por receberem pouca luz.

Também é importante salientar que a luminosidade decai abruptamente à medida que nos afastamos da janela. Poucos centímetros de distância fazem grande diferença na insolação que a planta recebe. Neste sentido, o ideal é que as orquídeas sejam cultivadas no parapeito da janela, ou o mais próximo possível.

Estas e outras dicas sobre luz e cultivo podem ser encontradas no artigo:

Como fazer sua orquídea florescer: Luz

4. Umidade

Este é um dos maiores entraves a um cultivo de orquídeas bem-sucedido em apartamento. Ambientes internos, totalmente isolados do solo, tendem a ser extremamente secos, até mesmo para nós humanos. A baixa umidade relativa do ar, além de desidratar e debilitar a planta, favorece o crescimento de pragas, como cochonilhas e pulgões.

A principal ferramenta para contornar este problema são os humidity trays, bandejas contendo uma lâmina permanente de água sobre a qual os vasos se apoiam. Para evitar o contato direto da água com o fundo do vaso, são adicionados cascalho, brita ou argila expandida. Este material também impede que se forme uma superfície de água exposta ao mosquito da dengue.

Sempre me solicitam uma foto deste sistema aplicado ao meu ambiente de cultivo, mas costumo fugir da raia por achá-lo extremamente antiestético. Neste artigo, abro uma exceção com fins didáticos, for the sake of clarity.

Cultivo de orquídeas em apartamento
Cultivo de orquídeas em apartamento


Esta é uma visão do andar térreo do meu arremedo de orquidário. Embora não estejam em contato direto com as bandejas, as orquídeas penduradas também se beneficiam da umidade proporcionada pela evaporação proveniente destes aparatos. Vale qualquer coisa: bandeja de isopor, banheiro para gato e até formas de bolo.

Em dias muito quentes, costuma-se aconselhar a molhar o chão do orquidário, de forma a aumentar a umidade destinada às orquídeas, sem regá-las diretamente, o que poderia ser excessivo. Em um apartamento, distante do solo, o uso destas bandejas promove um efeito equivalente.

5. Rega

Para os cultivadores de orquídeas em apartamento, uma simples mangueira e um ralo, tão corriqueiros aos donos de quintais, são verdadeiros sonhos de consumo. Nossa varanda tem ralo, mas nenhuma fonte de água por perto. Por esta razão, sou obrigado a transportar todos os vasos para a banheira, uma vez por semana, com o intuito de dar um banho mais caprichado. Nesta ocasião, todo o excesso de sais provenientes da adubação química é removido do substrato. Também é uma ótima ocasião para garantir que todo o sistema seja plenamente hidratado, coisa que às vezes não acontece durante os banhos de gato com o borrifador.

Rega de orquídeas em apartamento
Rega de orquídeas em apartamento


Evidentemente, não há necessidade de se ter uma banheira para tal finalidade. Eu acho prático, já que uso o chuveirinho e não me molho muito. Mas a rega pode ocorrer no box do banheiro, na pia da cozinha ou no tanque da área de serviço. O importante é molhar abundantemente cada vaso, permitindo que o fluxo de água passe várias vezes por todas as orquídeas.

Na foto acima, coloquei uma orquídea florida apenas para fazer uma graça. Na realidade, não costumo molhar as flores nem os botões florais, para evitar o aparecimento do fungo Botrytis cinerea, que causa aquelas conhecidas pintas amarronzadas nas pétalas e sépalas.

Nos intervalos entre as regas semanais, vou controlando a umidade do substrato com o borrifador, in loco. No verão, em dias muito secos, chego a borrifar duas vezes ao dia, de manhã e no final da tarde. No inverno, em dias úmidos, passo a semana toda sem borrifar. O importante é que o substrato tenha chance de secar entre uma rega e outra.

Outras dicas importantes sobre regas e umidade podem ser encontradas neste artigo especial:

Como cuidar de orquídeas: Água

6. Adubação

A princípio, não seria de se esperar que houvesse diferenças na adubação de orquídeas cultivadas em apartamento ou em qualquer outro local. No entanto, questões práticas levaram-me a escolher um tipo específico de adubo, o químico, em detrimento de outro, o orgânico. Isto porque a adubação orgânica, geralmente constituída por torta de mamona, farinha de osso, bokashi, entre outros, costuma apresentar alguns inconvenientes para quem cultiva em apartamento. De modo geral, estes componentes precisam sofrer uma decomposição por micro-organismos para liberar os nutrientes à planta. Neste processo, exalam diferentes odores, não muito agradáveis. Em decorrência disso, vários insetos são atraídos. Estes efeitos colaterais costumam incomodar quando as orquídeas são cultivadas dentro de casa ou muito próximo a locais de convívio, como varandas e áreas de serviço.

No cultivo de minhas orquídeas, costumo utilizar um adubo químico NPK, balanceado, contendo macro e micro-nutrientes. Costumo alternar entre formulações para manutenção e para floração, contendo diferentes proporções de nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K).

Informações detalhadas sobre este tema foram compiladas neste artigo:

Como adubar orquídeas em apartamento

7. Pragas

Uma das poucas vantagens do cultivo em apartamento é o fato de que determinadas pragas aparecem com menos frequência. Lesmas, caracóis e formigas cortadeiras, por exemplo, só atacam as orquídeas no apê se forem trazidos de fora, por meio de outros vasos. Ainda assim, seu controle e erradicação são fáceis de serem realizados.

Por outro lado, as pragas que chegam pelo ar ocorrem com bastante frequência. A falta de ventilação, em locais fechados, favorece o aparecimento de insetos nocivos, como cochonilhas, pulgões e tripes. Nunca consegui erradicar totalmente estes males, ainda que cultive em local bem ventilado, na varanda. O máximo que consigo é mantê-los sob controle, através de métodos de prevenção e erradicação, os mais naturais possíveis.

Frequentemente, leio nos fóruns e grupos de discussão especializados em orquidofilia a recomendação do uso de fungicidas e inseticidas bastante tóxicos, com alto potencial carcinogênico aos seres humanos. São substâncias que requerem o uso de equipamento completo de proteção, como óculos, luvas e botas. No apartamento, esta recomendação não faz sentido, já que a pessoa que aplica pode estar protegida, mas corre o risco de estar borrifando veneno na cabeça do vizinho de baixo, que tranquilamente toma chá em sua varanda.

Neste sentido, opto pelo controle manual, eliminando os insetos nocivos com uma escovinha, água e sabão. É importante ficar sempre atento. De alguma forma, estas pragas parecem saber o lado da planta que não está acessível aos nossos olhos. É lá, na parte de trás, que eles se concentram. Preventivamente, borrifo as orquídeas com óleo de neem, a cada quinze dias. Quando a infestação está fora de controle, apelo para inseticidas pouco tóxicos, à base de água, próprios para jardinagem amadora.

Palestra

Este artigo é uma prévia da palestra que vou ministrar durante a 44ª Exposição de Orquídeas de São Bernardo do Campo, no dia 24 de novembro de 2013, às 14h, a convite da presidente da Associação Orquidófila de SBC, Eliete Colato Tobias.

O evento acontecerá nos dias 23 e 24 de novembro, no Espaço CAJUV, localizado na Av. Redenção, 271, Centro de São Bernardo do Campo, SP. No sábado, a exposição será das 9 às 20 h e, no domingo, das 9 às 17 h. A entrada é franca.

Cultivo Featured Orquídeas
  1. Já que não posso comparecer à Palestra, vim correndo ao Apê para aproveitar suas dicas!!! Tenho certeza que todos irão se beneficiar de seus conhecimentos e passar bons momentos em sua companhia! Simpatia, educação e sabedoria não lhe faltam! Adorei ler as dicas e irei rever vários passos. O desvendar mistérios dos cuidados me ajudou muito a tirar medos. Um dia escrevo a você… hehehe Grande semana, meu amigo! Bons preparativos para o evento! Beijos

    • Oi, Helô! Pois é, que pena não poder contar com a sua presença! Mas fico muito agradecido pelo carinho e consideração da sua visita! Fico muito feliz em saber que gostou das dicas, espero que sejam úteis. Mas suas orquídeas já são maravilhosas, resultado de um ótimo cultivo!

      Escreva, sim, fiquei curioso! Hehehe! Que ótimo, muito obrigado pela visita e pelo apoio!

      Beijos, uma ótima semana e tudo de bom!

  2. Muito boas dicas, Sergio!
    E apesar de eu morar em casa, também servem para mim, pois o espaço é pequeno e as condições climáticas muito parecidas. Ainda estou montando meu mini-micro orquidário, e as informações do blog vão me ajudar muito.

    Vou tentar ir na palestra. ;)

    Abraço.

    • Oi, Francine, que legal! Fico muito feliz em saber que gostou das dicas! Parabéns pela iniciativa de montar o orquidário, torço para que fique fantástico!

      Muito obrigado pelo carinho e interesse, vou adorar se puder estar presente!

      Um grande abraço!

  3. Teu texto está excelente, claro, interessante, explicativo, didático… Adorei os exemplos e esclarecimentos. É difícil a gente encontrar explicações detalhadas como as tuas. Já copiei o texto e vou guardá-lo para consultas posteriores. Sei que vou utilizar muitas dicas. Tenho certeza que tua palestra será um sucesso!! Parabéns e obrigada por dividir conosco e com todos, tua experiência e tua paixão pelas orquídeas. Estás sendo muito generoso!! Abç

    • Oi, Alexia, imagine! Muita bondade sua, fico lisonjeado com as suas palavras. Que ótimo saber que gostou do artigo e das explicações!

      Imagine, eu que agradeço, de coração, pelo carinho e apoio da sua mensagem! Muito obrigado pela força, vou precisar!

      Um grande abraço!

  4. excelente postagem Sergio!..li com avidez cada item e essa experiência que vc tem é um brinde para todos!….muito interessante!…sua palestra com certeza será ótima!..um abraço!

    • Oi, Suely, que ótimo! Fico feliz por saber que gostou do artigo. Sua opinião é sempre muito importante para mim! Muito obrigado pela visita e pelo incentivo, espero que corra tudo bem na palestra!

      Um grande abraço!

  5. Que formidável hein! É certo que vc vai impressionar, o texto tem algo de inédito e tem seu toque, que é caprichoso! Ah…bom trabalho, boa palestra! Abração!

    • Oi, Jalo! Imagine, muita gentileza sua. Que ótimo receber seu apoio neste momento, muito obrigado pela força!

      Um grande abraço!

  6. Es un articulo sumamente completo Sergio, yo intenté tener una hace mucho tiempo y se me secó.
    Son plantas muy delicadas, en mi caso creo que me pasé con el tema del riego.
    Gracias por compartir tus conocimientos, te dejo un fuerte abrazo.
    bella noche!

    • Oi, Cristina, que pena! Sinto muito pela sua orquídea, espero que não desanime e tente novamente! Também já perdi muitas, por diferentes razões.

      Mas que bom saber que gostou do artigo! Muito obrigado pela visita e pelo gentil comentário!

      Um grande abraço e tudo de bom!

  7. Oi Sérgio, amei a prévia, está ótima e as imagens que compartilha já falam por si! Sucesso.

    • Oi, tudo bem? Fico feliz em saber que gostou do artigo e das imagens! Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

  8. Anonymous

    EU AMO ORQUIDEAS E A MINHA FICA NA VARANDA ONDE PEGA O SOL DA MANHÃ MAS E QUANTO A MUDA, DEVEMOS MUDAR DE VASO OU PODE CONTINUAR NO MESMO?OBRIGADA PELAS DICAS

    • Oi, tudo bem? Que legal, sua varanda é um ótimo local para as orquídeas. Eu costumo deixar as mudas no vaso. Você saberá a hora de replantar quando a orquídea começar a sair do vaso.

      Que bom que gostou das dicas, eu que agradeço pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

  9. Se nota que tienes un gran conocimiento sobre las orquideas, felicitaciones.

  10. Estou no beaba em relaçao ao cultivo de orquideas e como moro em ap sinto muita dificudade…ja chorei a morte de varias e ainda hj , com muito estudo , ainda tenho algumas perdas. esses ano mesmo, não sei se pelo calor , ja perdi uma e tenho duas perigando ,mas não desisto, pelo menos uma vez por mes to no ceasa comprando uma nova.sua materia foi muito boa, bem esclarecedora…
    bjos

    • Oi, Angela, tudo bem? Poxa, que pena, sinto muito pelas suas perdas. Eu também, volta e meia perco alguma. É inevitável. O importante é não desistir. Parabéns pela sua perseverança, tenho certeza de que será belamente recompensada!

      Fico feliz em saber que achou a matéria útil, muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

  11. Que dicas marvilhosas,Sérgio! Mesmo cultivando as nossas singelas orquídeas aqui no nosso pequeno jardim, achei super interessante conhecer estas recomendações básicas pra quem mora num apê, como eu mesma já morei há alguns anos atrás, embora na época eu ainda nem cultivasse orquídeas. E que bom saber que você vai estar ministrando uma palestra sobre este tão interessante assunto! Tenho certeza que vai ser um evento encantador e vai auxiliar à todos que cuidam e amam as maravilhosas orquídeas!
    Tudo de muito bom e muito sucesso pra você!!!
    Teresa

    • Oi, Teresa, tudo bem? Que ótimo saber que gostou do artigo! De fato, você é privilegiada por ter um jardim encantado, que mais parece um cantinho do paraíso! Mas muito obrigado pela visita e pelas palavras de apoio! Espero que dê tudo certo na palestra, estou apreensivo!

      Um grande abraço e tudo de bom, brigadão pela força!

  12. Lais

    Oi Sergio, td bem? Gostei muito do seu artigo e estou pensando seriamente em aderir às bandejas. Leio tanto que podemos matar as orquídeas afogadas que acho que tenho quase matado as minhas de sede..rsrsrs Várias das minhas Phalaenopsis estão com as folhas murchas e com raízes secas… será que é isso? Acho bem mais fácil cuidar da Denphal e da Dendrobium mas tenho várias Phals e gostaria de rehidratá-las…pode me ajudar? Tbem moro em apartamento em andar alto e estava com as Phals na sacada com sombrite mas estou pensando em colocá-las dentro do apê.. Por favor, me dá sua opinião??? Obrigada e um abraço!

    • Oi, Lais, tudo bem? Que bom saber que gostou do artigo!

      Eu também tive o mesmo problema das suas Phals e as recuperei com este sistema de bandeja. Funciona, sim, acho que será útil no seu caso.

      A minha sugestão é que as mantenha na sacada, com sombrite. Acho que a luminosidade e ventilação são mais favoráveis do que dentro de casa. Foi o que decidi fazer, aqui no apê.

      Muito obrigado pela visita, desejo sorte no cultivo das suas orquídeas!

      Um grande abraço!

    • Lais

      Olá, Sergio! Coloquei minhas meninas na bandeja hj, vou dar um tempo e volto pra te contar se deu certo. Muito obrigada pela ajuda e atenção! Tenho certeza de que sua palestra será um sucesso!! Bom fim de semana..

    • Que legal, Lais! Imagine, de nada, desejo boa sorte! E muito obrigado pelo apoio e torcida!

      Um grande abraço, um ótimo fim de semana para você também!

  13. Excelente texto. Já tive um orquidário, quando morava em casa, mas hoje moro em apartamento, sexto andar, sem varanda!! Mesmo assim, mantenho algumas orquídeas próximo de uma grande janela. Montei um miniorquidário vertical com o uso de treliças nas paredes. Tem boa luminosidade e procuro manter alguma umidade com o uso de pratinhos com argila expandida e água e agumas bromélias no chão. Tenho desde stanhopea, drichaea pendula, que pedem mais sombra e umidade até epidendrum fulgens, brassavolas, etc. Tenho também gomesa, miltonia, catleya leopoldii, lealia purpurata, oncidiuns, vanda, phalaenopsis, brassia, etc.
    O meu desafio será enorme para cultivar plantas com necessidades tão diferentes em um apartamento. Mas desistir nunca!! rss..
    Abraço e parabéns pelo excelente blog!

    • Oi, Ricardo, que legal! Fiquei impressionado com a quantidade e variedade de gêneros que você cultiva em apartamento. Parabéns! Fico muito contente por saber que está gostando do blog, muito obrigado pela visita e pelo apoio!

      Um grande abraço!

  14. Sérgio,te descobri agora e fiquei encantada com teu trabalho junto as orquídeas.Moro em Belém,aqui temos infinitas possibilidades de cultivar orquídeas,só que eu tinha uma imagem errada do cultivo,pensava que era muito difícil,tinha até medo de comprar,pensava que não podia tê-las em apartamento.Que bom que estás aqui,contribuindo com o teu conhecimento e o amor pelas plantas.Vou começar a cultivar orquídeas em casa no meu apartamento,graças a ti.Obrigada pelas informações e por ter contribuído,para acabar com a minha ignorância a respeito das orquídeas.Vou mergulhar nesse mundo colorido!Parabéns pelo blog e que Deus te abençoe.Um beijo no coração!

    • Oi, Vânia, tudo bem? Que legal, fico muito feliz pela sua decisão! Parabéns! Eu também comecei assim, comprando algumas, perdendo outras. Ainda hoje sigo aprendendo. Tem sido uma caminhada recompensadora!

      Imagine, eu que agradeço a você pela mensagem carinhosa. Muito obrigado pela visita, seja muito bem-vinda!

      Beijos e tudo de bom!

  15. Anonymous

    Sérgio fui à Exposição em Santo André no sábado, esperando poder assistir sua palestra, mas quem estava era o Andre Merez, que é também um ótimo expositor.Só que realmente o que queria era saber sobre como cuidar de orquideas no Apê.Bem procurei no google e achei seu site.Adorei e agora estou lamentando menos não ter podido fazer-lhe algumas perguntas pessoalmente.Espero poder um dia assistir uma exposição sua.

    • Oi, tudo bem? Poxa, que pena! De fato, minha palestra foi no domingo, em São Bernardo do Campo. Sinto muito pelo desencontro. Mas neste post tem o principal do conteúdo que apresentei na palestra. Tomara que surjam outras oportunidades!

      Muito obrigado pela visita e pelo interesse!

      Um grande abraço!

  16. Lais

    oi Sergio, td bem? Imagino que a palestra tenha sido um sucesso; graças à sua dedicação… Coloquei as Phals na bandeja e já estão dando sinais de recuperação…..eba!!!! As folhas q estavam bem caidinhas e murchas já deram uma melhorada….Obrigada pela dica.. Teve exposição aqui em Campinas tbem e adquiri minha primeira Laelia Purpurata. Ela está com botões nas duas espatas, tomara que eu não faça nada de errado.rsrsrs beijinhos..

    • Oi, Lais, tudo bem? Por aqui, tudo certo, obrigado!

      Então, a palestra começou um pouco truncada, mas no decorrer as coisas fluíram melhor. Espero que o pessoal tenha gostado!

      Fico contente por saber que as suas Phals estão se recuperando. Parabéns! Boa sorte e parabéns pela nova aquisição!

      Muito obrigado pela visita e pelo apoio!

      Bjos e tudo de bom!

  17. Adorei as dicas, sou uma orquidófila novata, então todas as informações são sempre bem vindas e aqui achei dicas bem fáceis para uma leiga como eu entender… obrigada, vou compartilhar, Giovana

    • Oi, Giovana, tudo bem? Que ótimo saber disso, fico muito contente em saber que está gostando das informações! Muito obrigado pela visita e pelas palavras de apoio!

      Um grande abraço!

  18. Oi, Sergio. Tudo bem? Descobri seu blog hoje por acaso e amei. Já coloquei no meu Favoritos!!! Comecei a cultivar orquídeas no meu apartamento em 2011 e, apesar de novata na área, tenho tido muitas alegrias. Agora com o seu blog vai ficar ainda melhor. Obrigada pelas dicas!!!

    • Oi, Lucia, tudo bem? Por aqui, tudo ótimo, obrigado! Que legal receber a sua visita, fico muito contente por saber que está gostando das dicas! Parabéns pelo cultivo de orquídeas em apartamento, muito bom saber que está dando tudo certo!

      Super obrigado pela visita e pelo carinho da sua mensagem! Seja muito bem-vinda!

      Um grande abraço!

  19. Sérgio:

    Já vi fotos suas com orquídeas em vasos de vidros com apenas musgo, É possível manter um orquídea assim, sem uma base mais sólida de cascas de pinus ou coco. No caso de cachepot, também pode ser colocada a orquídea direto ou somente usando os potes com furinhos em baixo. Desculpe a ignorância.

    • Oi, Giselle, tudo bem? Na verdade, estas fotos foram de arranjos montados especialmente para a ocasião. É apenas decorativo. O ideal é que a orquídea seja plantada em substrato próprio, há várias alternativas, dependendo do seu ambiente de cultivo.

      Um grande abraço!

  20. Hola Sergio, soy Juan Manuel, de Venezuela.
    Yo cultivo mis orquideas en condiciones muy similares a las tuyas, muchas gracias por las orientaciones, muy acertadas. Parabens por compartilhar seus conhecimentos!

    • Oi, Juan Manuel, tudo bem? Que honra receber sua visita da Venezuela, fico muito feliz! E que bom saber que está gostando das informações, muito obrigado pela presença e pelo gentil comentário!

      Um grande abraço e tudo de bom!

    • Gracias por la respuesta!
      He estado leyendo muchos de tus post y me parecen geniales!
      Me gustaría traducir algunos al español para compartirlos por facebook con mis amigos de habla hispana, claro con tu permiso y con los créditos correspondientes. También me gustaría entrevistarte.

    • Oi, Juan Manuel! Sim, fique à vontade para traduzir e compartilhar os artigos. Para mim é uma honra, muito obrigado pela consideração! Quanto à entrevista, não me considero o mais indicado para concedê-la, mas fico à disposição!

      Um grande abraço!

  21. Olá, amigo. Estou responsável por uma bela orquidea. Molho- a duas vezes ao dia – de manhã e anoite. Molho apenas as raízes, porque ela está florida e penso que molhando -a toda pode ser que prejudique o florecer dela. Este processo que estou fazendo, é correto? moro em ap, no quinto andar. . . Recife-PE. Adorei a matéria. Obrigado!

    Gileno Porfírio.

    • Oi, Gileno, tudo bem? De fato, você está certo. Durante a floração, é bom evitar molhar as flores. Desta forma, elas ficam mais bonitas e duram mais. Quanto à rega, é bom evitar encharcar o vaso. É preciso molhar apenas quando o substrato estiver seco. Dá para sentir pelo peso do vaso ou colocando o dedo no material, para sentir a umidade. Agora, no outono e inverno, é melhor regar menos.

      Que bom que gostou, muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

  22. Anonymous

    Oi, Sergio tudo bem. sou apaixonada por orquideas,elas me salvarão de
    uma quase depressão, mas infelizmente após, dois anos e meio de um otimo cultivo de 45 especies em apartamento tive que retirar a tela de proteçao; pois os proprietarios do condominio onde moro na cidade campinas, reiventicarão a retirada de um armario que um dos moradores colocou na sacada e tive que retirar a tela de proteção que havia consultado a sindica na epoca da colocaçao se poderia ser instalada e foi dito que sim.hoje não consigo cultivar pois a sacada e muito insolarada e precisei doar as minhas orquideas.Mas gostei das suas ideias é dificil morar num apartamento sem poder sentir e ver o florescimento e surgimento de raizes novas nessas pelas flores, e com se me faltasse algo espero volatr algum dia poder cultivar novamente.
    Enquanto isso vou seguir seu blog para me sentir um poiuco proxima delas Grata.

    Raquel.

    • Oi, Raquel, tudo bem? Poxa, que pena, fiquei muito triste ao ler seu depoimento. Que injustiça. Mas nem tudo está perdido. Existem orquídeas que podem ser cultivadas a pleno sol e são bastante resistentes. Por exemplo, Arundina, Epidendrum fulgens, Cymbidium. Deixo minha sugestão para que você possa voltar a cultivar orquídeas no seu apartamento.

      Muito obrigado pelo carinho da sua mensagem, fico muito contente por saber que está seguindo e gostando do blog!

      Um grande abraço!

  23. Rosilene

    Olá Sérgio! Ganhei minha primeira orquídea essa semana. Ela é linda! Mas confesso que estou com medo de não saber cuidar dela. Adorei as suas dicas, pois moro em apartamento. A espécie da minha orquídea Cattleya haw yuan angel.

    • Oi, Rosilene, que legal! Gosto muito desta orquídea, de fato é belíssima! Fico feliz por saber que gostou das dicas. Tenho certeza de que cuidará muito bem da sua primeira orquídea. Qualquer dúvida, é só falar! Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

  24. Bom dia Sérgio. Ganhei uma orquídea e quando fui malhá-la verifiquei que não há terra preta no vaso. Tem apenas algo parecido com fibra de coco. Devo trocá-la de vaso agora que ela está com flor?

    • Bom dia, Lysiane! Tudo bem? Então, a maior parte das orquídeas não precisa de terra para viver. Elas são chamadas epífitas, por viverem com as raízes expostas, presas aos troncos das árvores.

      Este material de fibra de coco é chamado de substrato, serve para reter a umidade em torno das raízes, sem sufocá-las, como a terra faria. Se a sua orquídea estiver bem, pode manter como está. Caso apresente algum problema, você pode aproveitar para substituir o substrato por um mais apropriado. Mas evite mexer na planta enquanto estiver com flor.

      A fibra de coco tende a reter muita umidade. Existem materiais mais aerados, como casca de pinus e carvão vegetal. Já são vendidos prontos, como substrato para orquídeas.

      Boa sorte e muito obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

  25. Estou encantada com as informações sobre o cuidado com as orquídeas em seu Blog !

    • Oi, Carla, tudo bem? Que legal, muito obrigado pelo carinho da sua mensagem! Fico feliz por saber que está gostando!

      Um grande abraço!

  26. Hola, Sergio. Yo también cultivo orquídeas en un apartamento, en el balcón. Mi balcón tiene ventanales, el lado donde están las orquídeas lo mantenía cerrado y la otra parte, abierto, para evitar el exceso de brisa. Está bien así o debo dejarles las ventanas abiertas? eso me preocupa porque con mucha brisa hay deshidratación, pero he leído que las orquídeas necesitan aireación de sus raíces. ¿qué me recomiendas? Tu blog es una maravilla, y aunque no conozco tu idioma hago esfuerzos por traducir. Gracias por compartir tus conocimientos. Saludos desde Venezuela.

    • Oi, Elizabeth, tudo bem? Muito obrigado pela visita e pelo comentário! Que bom saber que está gostando do blog!

      Quanto à ventilação, você tem razão! De fato, muito vento é prejudicial, mas uma boa circulação de ar é fundamental. Portanto, acho que você está fazendo certo, abrindo uma parte e fechando outra. Devemos ir dosando até descobrir a medida certa. Parabéns e boa sorte no cultivo!

      Um grande abraço!

  27. Eduardo

    Interessante. Em relação às pragas em minha varanda no 13º acontece o inverso. As lesmas, caracóis, formigas cortadeiras (e tatuzinhos), só aparecem quando veem de fora, e são de difícil/impossível erradicação(no caso, são vasos de terra com plantas normais – nunca ameaçaram as orquídeas). As formigas por exemplo, as grandes cortadeiras só saem à noite, e alimentam lagartixas que por vezes se hospedam em meio aos vasos.
    Já as cochonilhas, pulgões e tripes, com o óleo de neem se resolve numa boa e são difíceis de aparecerem.
    Minha orientação é perfeitamente Oeste. No equinócio a luz atinge perpendicularmente as paredes, mas não é impossível cultivar orquídeas, mas desafiador.. Como você comentou, regando às vezes uma vez à duas vezes por dia. Uma phalaenopsis já floriu por mais de 6 meses, com 4 cachos florais, um após o outro, todos rebrotando a partir do original.
    Só tem uma coisa que eu nunca vi ninguém comentando. É a inclinação da região de maior luminância em relação ao zênite. Minhas orquídeas recebem iluminação praticamente lateral, e crescem todas tortas, inclinadas, crescendo meio que na horizontal.. todas elas: phalaenopsis, cymbidium, oncidium, paphiopedilum… fica esquisito.
    A propósito, parabéns pelo blog Sergio, bonito bem organizado e instrutivo.

    • Oi, Eduardo, tudo bem? Que interessante, muito obrigado por compartilhar sua experiência. Como só tenho orquídeas na varanda, vasos com terra não entram e, consequentemente, não recebo muitas lesmas, caracóis e formigas.

      Também graças à forte ventilação, raramente tenho problema com pulgões e cochonilhas.

      De fato, muito bem lembrado! Tenho este problema da incidência lateral da luz, já comentei em outro artigo. Existe uma grande tendência das plantas crescerem tortas. Para evitar isso, costumo ir girando os vasos, durante o desenvolvimento dos novos pseudobulbos. Dá um trabalho imenso, mas vale a pena.

      Fico muito feliz por saber que gostou do blog! Muito obrigado pela visita e pelo comentário, que veio a enriquecer o assunto abordado, com sua experiência de cultivo.

      Um grande abraço!

    • Olá Sérgio! Tudo certo,e contigo?
      Nos vasos de lírios, cosmos e ervas que crescem no pé do guarda-corpo também vou girando os vasos para as plantas crescerem verticais, mas as epífitas que ficam mais resguardadas não é possível. Os vasos de meia-lua não possibilitam e há tillandsias junto de algumas orquídeas, então pelo paisagismo e efeito contemplativo, preciso me contentar às espécies que melhor se adaptam a essa configuração. O resultado é até que interessante. O problema, é que o jardim nunca esta pronto.. e essa é a graça =]

      Gostaria de saber se pode me dar uma força; tenho tido problema com todos os oncidiuns. As pontas verdes das raízes novas, de uma hora para outra, secam. Antes que elas atinjam dois, três centímetros. Algumas plantas estão do lado de fora, outras de dentro. Não consigo saber se é pela umidade, forte ventilação, rega, temperatura da água, gotas que permanecem nas pontas, frio, cochonilhas, falta de fertilização. Você já teve essa situação?

      Grande abraço, antecipadamente grato, Eduardo.

    • Oi, Eduardo! Tudo bem, graças a Deus! Que interessante, deve ficar realmente muito bonito o seu jardim, com toda esta variedade e riqueza de plantas!

      Realmente, as pontas verdes das raízes são bastante sensíveis. Às vezes, o simples fato de encostarem em alguma superfície já faz com que sequem. Por isso, é importante que a planta esteja bem firme no vaso, sem balançar. O vento também faz com que estas pontas acabem secando, por atrito.

      Outro fator que causa o ressecamento das raízes é a falta de umidade ambiente. Recomenda-se que o local de cultivo tenha sempre acima de 60% de umidade relativa do ar. Neste aspecto, estas bandejas umidificadores ajudam bastante.

      Muito obrigado pela visita e pela participação!

      Um grande abraço!

  28. Anonymous

    Oi Sergio, Boa tarde! Meu nome é Patrícia.(Ops! não consegui publicar sem ser “anônimo” kk) Conheci seu blog hoje e adorei! Vou voltar mais vezes e aprender com você, para quem sabe um dia, conseguir cuidar de algumas orquídeas em casa. Um abraço.

    • Oi, Patrícia, boa tarde! Tudo bem? Que ótimo receber sua visita, seja muito bem-vinda! Espero que aproveite bastante, torço para que tenha uma bela coleção, em breve! Muito obrigado pela mensagem!

      Um grande abraço!

  29. Anonymous

    Bom dia Sergio. Ganhei uma orquidea plantada dentro de um vaso redondo de vidro. Tenho q tirar ja q é sem furos e nao tem como escorrer a água?

    • Oi, bom dia! Tudo bem? Sim, tem razão, é importante retirar a orquídea deste vidro. O ideal é que ela fique apenas no vaso de plástico ou cerâmica, com furos e uma boa drenagem, sem o pratinho. Muito obrigado pela visita e boa sorte!

      Um grande abraço!

  30. Ola Sergio, estou morando na Alemanha a cerca de um ano, e por aqui se cultiva muitas flores e muito me agradam as orquideas, gostei das suas dicas porque tenho algumas no ape. Obrigada me foram muito uteis!

    • Oi, Marlene, tudo bem? Que ótimo saber que as dicas lhe foram úteis! Fico contente, desejo tudo de bom para as suas orquídeas no apê! Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

  31. Anonymous

    Oi Sergio, gostaria que soubesse que adorei esse artigo, pois moro em apartamento e aprendi muito. Onde encontrar o óleo de neem ?
    Quando vai ter palestra aqui no Rio de Janeiro, gostaria de comparecer e aproveitar conhecê-lo pessoalmente. Bjs
    Suely Barreto

    • Oi, Suely! Que ótimo saber que gostou do artigo!

      O óleo de neem pode ser encontrado em lojas que vendem material para jardinagem, garden centers e até grandes supermercados, na seção de jardinagem.

      Infelizmente, eu não tenho palestras programadas no Rio de Janeiro, seria um grande prazer! Muito obrigado pelo apoio e interesse!

      Bjos e até mais!

  32. Olá Sérgio! tudo bem?

    Seu artigo foi um achado!! E muito útil para mim!

    Ganhei uma orquídea a quase 3 meses e estou feliz por ela ter sobrevivido à minha falta de experiência em flores.
    Ela já chegou com flores lindas e com 3 botões que floresceram logo em seguida.
    Hoje, está totalmente sem flores. Porém, uma nova folha está nascendo rapidinho e bem verdinha! Estou feliz. Tenho a impressão que uma haste minúscula está surgindo ao lado da já existente. É possível mais de uma haste de flores??
    Já ouvi que não devemos cortar a haste pois outras flores podem surgir; mas também ouvi que deve-se cortar a mesma, deixando apenas uns 20cm. Não cortei, mas tenho essa dúvida.
    Quanto à rega, a orientação no manual, diz que não deve-se usar água clorada. E se for necessário, deve-se ferver previamente.
    Uso água mineral para a rega, porém só rego a terra e um pouco sobre o núcleo do início das folhas. Não estou molhando as folhas como diz em seu artigo… agora fiquei com pena da minha “Nina” e vou correndo dar um banho nela hehehe.
    Há de fato problema em dar à ela água clorada da torneira?
    E quanto à adubação, nunca a fiz ao longo desses 3 meses. Onde compro esse adubo? Moro em kitinete, e a Nina mora no meu criado mudo e você comenta que o orgânico pode gerar odores desagradáveis.
    Esse outro adubo, é líquido? Como é aplicado? Como procuro por esse adubo (nome, marcar, etc).

    Obrigada!

    Cassiane Trentin

    • Oi, Cassiane, tudo bem? Que bom saber que gostou do artigo! E parabéns pela Nina, torço para que ela floresça por muitos anos. Sim, podem nascer várias hastes em uma mesma orquídea. Agora é época de floração.

      Todas estas alternativas sobre cortar ou não a haste são válidas, depende do objetivo. Se você pretende ter flores rapidamente, o melhor é não cortar. No entanto, se gostaria de tê-las em grande quantidade, talvez seja melhor cortar a haste na base e esperar pela formação de uma nova, no ano seguinte. Demora, mas ela vem mais cheia de flores, mais saudável. A planta, durante este intervalo, descansa e produz mais folhas, maiores.

      De fato, a água com cloro não faz bem às orquídeas. Mas basta deixá-la descansando, por uma noite. Como eu uso da caixa d’água do prédio, não me preocupo com isso.

      O adubo é químico, podendo ser líquido ou em pó. Você encontra em lojas especializadas em jardinagem. Basta diluir em água e borrifar sobre a planta. Chama-se adubo foliar, NPK. Há várias marcas disponíveis, mas é bom dar preferência a uma linha específica para orquídeas.

      Imagine, eu que agradeço pela visita!

      Um grande abraço!

  33. Anonymous

    como que eu faço para minhas orquídeas ficarem bonitas umas dela esta morrendo e uma ta com as folhas ficando amarela

    • Tudo bem? Que pena… Mas para sabermos exatamente o que acontece com as suas orquídeas, é importante termos os nomes delas e fotos dos problemas que você descreve. Só assim, poderemos dar sugestões para melhorar o cultivo.

      Muito obrigado pelo contato!

      Um grande abraço!

  34. Olá Sérgio, tudo bem?!

    Demorei à voltar ao seu blog, peço-lhe desculpas!

    Sobre o corte da haste (comentado no outro post), decidi cortá-la.
    Mas para não ficar muito tempo sem flores no meu apê, ontem comprei uma companheira para a Nina, a Lara.
    Esta, veio com duas hastes bastante floridas e com vários brotos! (agora eu começo a entender o porque quem começa a cultivar uma orquídea, acaba tendo várias!!).
    O vaso desta nova orquídea é pequeno (um pouco menor que a outra), sendo que as raízes (pode-se chamar assim?), estão extravasando pelos furos no fundo do vaso e sobre a borda também. E como o vaso é transparente, as enxergos super amontoadas no fundo do vaso. É normal ou devo comprar um vaso maior?

    Ah, a espécie delas é Phalaenopsis.

    Quanto ao adubo, irei comprá-lo. Qual a frequência de adubá-las? Posso usar o adubo na orquídea que ainda tem flores?

    Obrigada mais uma vez!

    Cassiane

    • Sergio Oyama Junior

      Oi, Cassiane, tudo bem? Por aqui, tudo em ordem!

      Imagine, fique à vontade para aparecer sempre que quiser! Parabéns pela nova moradora, que ela lhe traga muitas flores e alegria! Sim, é normal que as raízes tentem sair do vaso. Elas gostam de ficar aéreas, pois são assim na natureza. No caso da Phalaenopsis, só é preciso replantá-la quando o substrato começar a se decompor. Geralmente, aconselha-se a fazer isso a cada ano e meio. Quanto ao adubo, não é necessário adubar enquanto a orquídea estiver florida. Após o término da floração, pode adubar semanalmente, com metade da dose indicada pelo fabricante. Ou quinzenalmente, com a dose total. Muito obrigado pela visita e participação!

      Um grande abraço!

  35. Oi Sérgio, tudo bem e você?! Comigo tudo certinho…

    A Lara ainda está florida e um novo botão acabou de florir!
    Acho que comecei a entender de onde nasce nosso vício em orquídeas (ou outras flores). No meu caso, senti falta de flores na minha casa assim que Nina perdeu as suas… corri para comprar outra para ver essa beleza em meu apê!

    Obrigada pelas dicas sobre a troca de vaso. Vou deixá-la neste, por enquanto.
    Uma coisa que observei, é que o substrato da minha orquidea mais velha (a Nina), é de musgos e o da outro, de cascas de árvore.
    Percebi uma diferença em relação à umidade e não sei se isso influencia nas regas ou em outros aspectos.
    A que possui os musgos, o substrato fica umido até a próxima rega e a de cascas resseca rapidamente (em um dia ou dois após a rega). Será que ele ficando tão seco pode desidratar a plantinha?
    Esse seria o caso de borrifar água nos intervalos entre as regas?

    Comprei o adubo químico NPK, na proporção 4-14-8. A orientação do fabricante é 1 colher de chá (5ml) diluido em 1 litro de água. Com essa mistura, a adubação deve ser feita semanalmente ou quinzenalmente? O quanto borrifo por vez? Não é esse litro todo né?

    Obrigada e um abraço!!

    Cassiane

    • Sergio Oyama Junior

      Oi, Cassiane, tudo bem? Que bom saber que gostou da dica sobre a troca de vaso! Você está certa, o musgo retém mais a umidade. Dependendo da umidade do ambiente de cultivo, usa-se musgo ou casca de pinus. Também pode-se misturar os dois substratos, para atingir a umidade ideal. No seu caso, como a casca de pinus está secando muito rápido, talvez seja melhor usar musgo. Você também pode borrifar entre as regas, desde que não fique úmido demais.

      Geralmente, os adubos vêm com uma recomendação de dose e periodicidade. Caso queira aplicar semanalmente, é melhor usar metade da dose recomendada. Uma vez preparado, o adubo precisa ser utilizado, não é muito bom guardá-lo. Caso seja muito, você pode preparar menos. Não tem uma quantidade fixa para borrifar, basta aplicar uniformemente.

      Muito obrigado pela visita! Um grande abraço!

  36. Olá!!

    Farei isso. Vou colocar alguns musgos no outro vaso, pois estou com peninha da minha muda…

    Para borrifar o adubo, o faço somente no substrato/raízes, ou nas folhas também?

    • Sergio Oyama Junior

      Oi, Cassiane, a maior parte da absorção do adubo ocorre através das raízes. Mas você pode borrifar as folhas também, nunca é demais.

      Abraços!

  37. Ola Sergio!
    Gostei das dicas e me animei de tirar algumas dúvidas. Moro no Rio de Janeiro, bairro de Campo Grande, em apartamento no segundo andar, as orquídeas são basicamente cattleyas(maioria), oncidiuns, dendrobiuns e phalaenopsis. Tenho sol da manhã, elas recebem o sol de 6h até 10h, a varanda tem 8m x 1m. Tenho ralo e mangueira na varanda, molho principalmente a noite. Me mudei para esse apartamento tem um mês, antes morava em casa e elas ficavam sob a sombra das palmeiras. Elas vão resistir? Na sua opinião, preciso usar sombrite? Se sim de quanto? Sei que as exigências de luz são diferentes para cada espécie. Além disso não sei se o condomínio vai permitir sombrites pendurados na varanda. Alguma dica?

    Muito obrigado. Grande abraço!

    • Sergio Oyama Junior

      Oi, Écio! Tudo bem? Que legal saber que vai começar a cultivar orquídeas em apartamento! Pela sua descrição, você tem um ambiente que é bastante favorável para estas plantas. O andar é baixo, o que diminui o problema com ventos muito fortes. A varanda é face leste, que proporciona o melhor sol para as orquídeas. Se o sol incide apenas de 6h às 10h, não será preciso sombrite, o que é ótimo. Você pode colocar as orquídeas que gostam de mais luz, como Cattleya, Oncidium e Dendrobium na frente e as Phalaenopsis mais para o fundo. Boa sorte e um ótimo cultivo!

      Imagine, eu que agradeço pela visita!

      Um grande abraço!

  38. Boa tarde Sergio!
    Mudei faz 3meses em apartamento no primeiro andar (pelas dicas isso é bom)
    Comprei orquídeas para pôr na sacada. Estou aguando todo do dias bem pouquinho isso é errado? 3 horríficas no final da tarde…. Me ajude não entendo nada de plantas

    • Sergio Oyama Junior

      Oi, Luciara, tudo bem? Boa tarde!

      Sim, seu andar é excelente para as orquídeas! É melhor regar apenas quando o vaso estiver seco. Você pode testar colocando o dedo e afundando um pouco no substrato. Quando regar, pode colocar debaixo da torneira e deixar escorrer bem depois. Qualquer dúvida, estou à disposição!

      Um grande abraço!

Leave a comment